Lojista não causa dano moral por questionar dados de transexual

Não é conduta humilhante ou constrangedora o lojista questionar, reservadamente, os dados pessoais de um cliente que mudou de sexo e passou a ter novo registro de identidade. Logo, não se pode falar em ofensas a direitos de personalidade assegurados no inciso X do artigo 5º da Constituição. Com b…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Rolar para o topo