Com base em ata, TRT-4 nega pedido de gestante que se demitiu

Baseada em ata de reunião entre empregador e empregada, a Justiça do trabalho gaúcha recusou em primeira e segunda instância o pedido de uma auxiliar administrativa que alegou ter sido coagida a se demitir quando estava grávida.
A autora pediu conversão para despedida sem justa causa, o que lh…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Rolar para o topo