Reiteração em corrupção justifica prisão em primeira instância

O fato de réus responderem a ações por improbidade administrativa, justifica a prisão preventiva dos acusados por evidente risco de reiteração criminosa e à ordem pública. Esse foi o entendimento do juiz Tiago Favaro Carnata, da 1ª Vara de Aracruz (ES), para condenar seis ex-vereadores da cidade …

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Rolar para o topo