Juiz segue nova lei e reduz distrato estabelecido por empresa

A retenção a título de distrato do que foi pago em imóvel não pode superar 25% do total que foi desembolsado pelo comprador. Esse foi o entendimento do juiz Senivaldo dos Reis Junior, da 7ª Vara Cível, no caso de um consumidor que desistiu da compra de um apartamento por não ter como dar conta do…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Rolar para o topo