fbpx

Indenização por CPR fraudulenta tem de ser proporcional ao dano

A indenização por emissão de cédula de produto rural (CPR) fraudulenta deve ser proporcional ao dano causado a quem as recebeu. A tese foi firmada pela 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça para delimitar em 0,5% da CPR o valor da reparação devida por uma corretora financeira do Banco Santos a…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Fale conosco
Enviar
Rolar para o topo