CNJ aposenta desembargadoras que bloquearam R$ 2,3 bi, em liminar

Representantes da magistratura são negligentes quando, mesmo diante de indícios de fraude, assinam decisão dando suporte para o cometimento de ilícitos sem se preocupar com os impactos da ordem. Assim entendeu o Plenário do Conselho Nacional de Justiça, nesta terça-feira (12/12), ao condenar duas…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Rolar para o topo