Banca Andrade & Fichtner diz que honorários de sócio preso são legais

O escritório Andrade & Fichtner Advogados afirmou que não têm origem ilícita os R$ 16 milhões em honorários recebidos em 2014 pelo sócio Regis Fichtner, ex-secretário da Casa Civil do estado do Rio de Janeiro preso na quinta-feira passada (23/11).
O Ministério Público Federal suspeita que os R…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Rolar para o topo