fbpx

Advogado que lida com agiotas não consegue porte de arma de fogo

O simples fato de lidar com agiotas, sem demonstrar nenhum risco concreto de perigo, não justifica a concessão de porte de arma ao advogado, uma vez que a profissão não é classificada como atividade de risco. Esse foi o entendimento da 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou pedi…

Veja a matéria original no Portal Consultor Jurídico

Fale conosco
Enviar
Rolar para o topo