STJ nega Habeas Corpus a preso preventivamente há quatro anos

Devido a complexidade da ação penal, que ainda aguarda julgamento em primeira instância, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça não reconheceu a tese de excesso de prazo na prisão preventiva de um empresário, preso há quatro anos acusado de envolvimento no assassinato do jornalista maranhense…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo