Seletividade em delações privilegia os grandes, diz Figueiredo Basto

Ao escolher quem pode delatar, o Ministério Público está gerando uma desproporcionalidade de tratamento jurídico-penal em relação aos grandes corruptores e os menores. A crítica é do criminalista Antonio Figueiredo Basto, responsável pela defesa de cerca de 20 envolvidos na operação “lava jato”, …

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo