Reconhecimento extrajudicial da parentalidade afetiva (Parte 1)

Há muito tempo o Brasil reconheceu que o afeto é fonte de parentesco.
A partir do texto de João Baptista Villela (Desbiologização da Paternidade)[1] que data de 1979, a construção doutrinária sólida coloca o Direito de Família brasileiro em posição de relevo perante os demais países que, lenta…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo