MP começa a usar inteligência artificial para elaborar acusações

Os softwares que “aprendem” com seus usuários, com a chamada computação cognitiva, ou inteligência artificial, chegaram ao Ministério Público. Os programas que organizam e dão mais agilidade ao trabalho já são realidade em escritórios de advocacia, como mostrou reportagem da ConJur. 
Um dos pr…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo