O intelectual que questionou o uso da memória de Tomás Gonzaga

Almir de Oliveira (1916-2015) foi um intelectual dos que hoje já quase não os há mais. Sintetizou direito, história e literatura na intransigente defesa dos direitos fundamentais. Sua vida foi de permanente dedicação às letras e às humanidades, que cultivou como escritor[1], historiador[2], profe…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo