TRF-4 nega declaração de legalidade a empresa de jogos on-line

Como o Judiciário não é órgão consultivo, nem pode interferir na ação fiscalizatória do Executivo, uma empresa de jogos on-line não conseguiu obter uma declaração de legalidade de suas atividades. A empresa pretendia conseguir uma garantia jurisdicional para que a União se abstivesse de adotar ev…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo