Ney Bello: No tempo em que vivemos, os Deuses continuam sedentos

Não é o tempo de Anatole France, mas é o tempo de um Bob Dylan, que se recusa a reconhecer seu reconhecimento. No tempo em que vivemos, os Deuses continuam sedentos.
Os homens, à bordo de suas convicções, querem condenações; querem culpados; querem linchamentos; querem aquilo que chamam de Jus…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo