O efeito da dissonância cognitiva no interrogatório malicioso

O interrogatório é tanto meio de prova como meio de defesa, já que indica/confirma a versão dos jogadores[1], oportunidade em que o acusado, por si, narra sua versão do ocorrido. Os limites da cognição são os constantes da imputação, sem que se estabeleça verdadeiro “juízo final” em nome de imagi…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo