Testemunha precisou de três ordens de prisão para falar a verdade

O primeiro processo que pede a cassação de uma chapa vencedora das eleições presidenciais segue com seus fatos inéditos. E inusitados. O caso corre no Tribunal Superior Eleitoral, sob relatoria do ministro Herman Benjamin. A testemunha Vivaldo Dias da Silva insistiu três vezes na mesma mentira, c…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo