fbpx

Beneficiário de boa-fé não precisa restituir valores pagos por erro

Os valores de benefícios de previdência complementar recebidos de boa-fé, quando pagos indevidamente pela entidade de previdência privada em razão de interpretação equivocada ou de má aplicação de norma do regulamento, não estão sujeitos à devolução, pois se cria expectativa de que tais verbas al…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Fale conosco
Enviar
Rolar para o topo