Por um processo penal com menos fanatismo de coxinhas e mortadelas

Em 2016, assistimos e participamos, mesmo passivamente, do espetáculo do fanatismo. Entre “coxinhas” e “mortadelas”, qualquer opinião proferida em artigos, palestras, enfim, nas reuniões familiares, tão logo emitida, era taxada com uma das etiquetas. Defender garantias virou sinônimo de ser favor…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo