Réu por crime hediondo aguardará em prisão domiciliar, decide STJ

Ser réu primário, ter bons antecedentes, residência fixa e confessar o crime são características que permitem que um acusado de crime hediondo possa aguardar o julgamento em prisão domiciliar. Esse é o entendimento da 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça no caso de uma mulher suspeita do crim…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo