TSE concede HC, e Garotinho poderá se tratar em hospital particular

Interromper a internação hospitalar de um preso e enviá-lo para penitenciária por causa de rumores de que ele estaria recebendo regalias não é razoável, pode ter graves consequências e fere o princípio da dignidade da pessoa humana. Com esse entendimento, a ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Su…

Continue lendo no portal Consultor Juridico

Rolar para o topo